O que é o namoro

O que é namoro? É uma relação amorosa recíproca; momento de cortejar; de desejar um ao outro; de interesse mútuo. É o momento da paixão e das ilusões: tudo se volta para o outro.

É lindo o tempo de enamorar-se: de estar junto, conhecer um ao outro, os gostos, as preferências, mas ao mesmo tempo de respeitar-se mutuamente. E o mais bonito é que Deus nos deu este tempo de namoro para nos relacionarmos e nos conhecermos, até quando aparecem as dificuldades e as necessidades para um relacionamento sadio: sinceridade, evitar o ciúme, falar o que pensa e sente das atitudes do outro, o que nos agrada e desagrada. Neste tempo de conhecimento se percebemos que isto nos trará prejuízo posterior, precisamos ter a coragem de por fim e terminar com este relacionamento.

Nesse tempo, nós vivemos em um período do “parecer”: charme, busca e novas descobertas, mas de tudo isto o importante é a transparência de se dizer ao outro, de ir entrando num diálogo mais profundo, é a transparência do falar e do sentir. Não podemos confundir amizade íntima com amor. Não queira ganhar a pessoa de qualquer jeito. Não se entregue para consegui-la. Tenha coragem de dizer “não” nas horas íntimas do casal, pois isto solidificará o namoro. No mundo de hoje os relacionamentos são mais livres. Mas no amor volúvel, a durabilidade é passageira.

Diz o ditado popular: “a ocasião faz o ladrão”. Começa pela oportunidade do lugar, o instinto se torna maior que a vontade, e finalmente dominados pelo desejo chegam à relação sexual, sem que tenham a dimensão das conseqüências. Primeiro, a pressa de fazer de qualquer jeito, pois o instinto ou carência supera o amor e após o gozo vem o medo da gravidez, da doença e da perda. Infelizmente a mentalidade de hoje é oposta aos ensinamentos de Deus. O mundo aderiu ao “amor livre”, quer dizer, “ser mais uma na lista do fulano”. Não se conta mais a desco­berta e o tempo para que o casal atinja o maior prêmio que Deus lhe deu: o ápice do ato sexual. O que vale é fazer de qualquer jeito.

Até as “boas famílias” vão aderindo à mentalidade munda­na de só realizarem os casamentos depois que o casal tenha vida em comum por um determinado tempo, para ver se dará certo. O que é bom virou uma banalidade. O namoro é um período de relacionamento maduro, de se ter o gosto e a paciência de conhecer os limites e riquezas de cada um. É aconselhável evitar trazer para um novo namoro o que aconteceu em relacionamentos pas­sados. Não ter receio de mostrar as próprias virtudes, pois ele (ela) deve ser cativado por suas qualidades, e não por seu corpo bonito, sensual.

Ser uma pessoa carinhosa é fundamental no namoro. Diante do esfriamento, não termine logo, não brigue, porque isto gera insegurança e cria feridas imensas, difíceis de serem curadas. Neste tempo é importante não ir fazendo o gosto do namorado ou da namorada, e sim conhecê-lo (a), pois não nos esqueçamos que o maior inimigo de um relacionamento é a traição. Um lindo amor ungido por Deus acaba em tristes desavenças, porque não respeitamos o tempo que Ele nos deu para o conhecimento a dois. Hoje a palavra matrimônio não se traduz mais em virgindade, mas temos que pedir a Deus a sua miseri­córdia para iniciarmos tudo de novo e confiarmos: “Eis que faço novas todas as coisas”.

Deus abençoe os namorados!

(Adaptado de texto de Wellington Silva Jardim, da Comunidade Canção Nova)

About these ads

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: